quinta-feira, 24 de março de 2011

Amor...indiferente amar...


Amor...Indiferente amar

Anda-se banalizando o sentido da expressão “eu te amo”, será que em todas às vezes proferidas essas 3 palavrinhas realmente tem o significando que deveriam? Creio que não! Deve ser por isso que haja poucos amores intensos e verdadeiros nos dias atuais. Nunca transforme a frase "eu te amo" em uma coisa banal, diga-o somente quando realmente aquela vontade absurda lhe vier, ou então quando lhe derem razões para isso. Existem milhares de maneiras significativas de expressar seus sentimentos.
Diferente do que dizem o contrário do amor não é o ódio e sim a indiferença.
Quando você odeia, de certa forma canaliza suas energias na pessoa odiada. Para odiar alguém precisamos reconhecer que esse alguém existe e que nos provoca sensações por piores que sejam, precisamos de um coração ainda que frio, e raciocínio ainda que doente. Odiar dá rugas no rosto, angústia no peito e noites mal dormidas, já a indiferença por sua vez deixa o recado no próprio nome: não quero saber, sua presença e ações não importam para mim. Talvez esse seja o maior desafio do amor, e a dor mais aguda que o coração possa sentir. Para sermos indiferentes não precisamos de nada, não estamos nem aí, não julgamos seus atos, ignoramos sua presença e nem nos damos conta de sua ausência. Na indiferença o outro não existe ou não é percebido... Pode estar aí a causa de haver tantos corações frustrados, que encontram na indiferença do ser amado um motivo para o ódio, sentimentos de vingança, ou pior...se jogam de uma ponte, pulam do 11º andar por alguém. Isso seria amor? Não! Eu diria falta de amor, de “amor próprio” sendo mais específica. É preciso amar-se antes de tudo, não dá para abraçar o mundo, exigir das pessoas, sem exigir e abraçar a nós mesmos.


Com licença poética, versos de Silvana Dorta:

“Me devolver o sol
Me presentear novamente com o brilho da lua
Me fazer repousar ao cheiro das flores
Novamente me fazer voar
Reatar minhas forças pra lutar
Colocar em minhas mãos , o segredo da felicidade
Me representar no amor
Me fazer uma pequena mulher em uma guerreira amante do amor
Devolver meu brilho no olhar
Me amar”
 (...)

 
AMOR, esse nobre sentimento queridos leitores, foi feito para todos, mas poucos são os que têm pureza de coração e humildade para possuí-lo...odiar qualquer um pode, mas amar só os “diferentes” não os indiferentes.
Ter maturidade para entender e aceitar as etapas da vida são atitudes de pessoas formadas por e para o amor, que não precisam ser ou sofrer por indiferença, porque são muito bem resolvidas e certamente só usarão “EU TE AMO” quando o sentir realmente.
  
“Não há metade do coração. 
Ou todo o amor ou toda a indiferença (...)”
(Camilo Castelo Branco)

Beijos com carinho!!!

*Confira a postagem original" no Arte & Cultura.

6 comentários:

  1. É verdade amiga, as pessoas usam essa expressão mais que perfeita para situações imperfeitas.
    Bjo!

    ResponderEliminar
  2. “Não há metade do coração.
    Ou todo o amor ou toda a indiferença (...)”

    Que amor prevaleça sempre em nossos corações!

    Beijos,Samirinha!

    ResponderEliminar
  3. As palavras têm poder, é preciso mensurá-las.
    Amar, porque é o que há de mais belo.

    Te amo flor. Bjins!

    ResponderEliminar
  4. Samy, querida...

    Suas palavras são sempre envoltas por enorems emoções e sinceros sentimentos!

    Adoro!!!

    Parabéns SEMPRE!

    Beijos, lindona! Ótimo findi!

    ResponderEliminar
  5. COMO PARTICIPAR NAS EDIÇÕES DO EPISÓDIO CULTURAL?
    O Fanzine Episódio Cultural é uma jornal bimestral sem fins lucrativos, distribuído na região sul de Minas Gerais, São Paulo (capital), Belo Horizonte, Salvador-BA e Rio de Janeiro. Para participar basta enviar um poema, um conto; ou matérias sobre esporte, moda, sociedade, curiosidades, artesanato, artes plásticas, turismo, biografias, sinopses, curiosidades, folclore, saúde, artes cênicas e dramáticas, música, fotografia, etc (em Times Roman 12).
    Favor anexar uma fotografia sua, ou alguma imagem relacionada ao conteúdo. Caso o artigo não seja seu, favor informar a fonte.

    PARA ENTRAR COM CARLOS (Editor)
    Facebook: http://www.facebook.com/profile.php?id=1464676950&ref=profile
    machadocultural@gmail.com

    ResponderEliminar
  6. Minha linda :)

    sempre tão intensa nas suas palavras, tão você, verdadeira e transparente, o amor não pode ser banalizado, tem que ser vivido e cuidado, só ama quem pode amar, nunca quem quer, então em vão não vamos usar, para todo o sentido o amor não perder :)!

    beijo em seu coraçao

    ResponderEliminar