sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Amor reinventado...

“Amores superficiais
a gente ama em cima do edredom.
Lençol é coisa muito séria.”
(Tati Bernardi)




Amor reinventado

Adoro o amor assim
de rostinho colado
corpo no corpo suado
dia após dia reinventado.

<<>> 

Quero ser amor de corpo inteiro
Cabeça, alma e coração.
Quero sentir em ti
o cheiro do aconchego
nas noites frias no calor do verão.

<<>> 

Ser amor assim não se esquece
a magia acontece
a gente enlouquece
a razão desfalece
e o coração entorpece.

<<>> 

Quisera por minha juventude
contigo estar
e quando os anos passarem
na velhice de meus dias
dos melhores momentos
a sabedoria da vida
contigo partilhar.

(Samyra Almeida)




quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Nova história...


...Um novo tempo Deus tem pra mim
Tudo aquilo que perdido foi
Ouvirei de sua boca, te abençoarei.

(Fernandinho - Uma nova história)

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Do profano ao puritano...

"Depois que um corpo comporta outro corpo,

nenhum coração suporta pouco."

(Alice Ruiz)




O ar angelical derramado em belos e largos sorrisos confundem-se
com sua astúcia admirável que trás em terra o paraíso.

***

Em doces e ternos encantos desvencilham-se
todos os temores guardados
a pureza de gestos que acolhem com brandura o pranto
de toda eternidade em um ato.

 ***

Terna, singela e meiga magia. 
Intensa, magníloqua e picante sedução,
faz-me perder o juízo indubitavelmente conciso,
louco encanto entre profanas e puritanas vontades,
desejos em atitudes que no peito ardem.

***

Na delicada e pulsante missão de seduzir um anjo,
arraigados em valores pretensos o rubor 
do desfrute em abraçar curvas tão singularmente sinuosas acompanhando
o movimento de dois corpos envoltos em uma só pele, ou
simplesmente se fazendo envolvente em maestria pura e casta de
um sorriso comprometido com os próprios sonhos de fera, felina,
amável e admirável olhar de menina,
mulher vibrante que ardentemente irradia alegria.

***

És lobo (a) em pele de cordeiro (a).
Diabinho (a) em corpo de anjo.

***

Quisera da terra o céu alcançar
regendo estrelas em gozo
sob o canto celeste em vestes solferino do mais puro escarlate.
Minha cândida sedução lhe apraz,
em gemidos inexprimíveis meu coração teu santuário se faz.

***

Abraça-me com mãos de aconchego,
ao seu lado durmo o sono dos sensatos,
puros e irremissíveis em doce pecado,
nesse limbo construído em vida na mais perfeita harmonia
desse “espaço” que adoro transitar
entre o PROFANO e o PURITANO.


‘Seu corpo no meu um gemido. 

Minha pele suada aguça sentidos’.

(Samyra Almeida)

Beijos com carinho^^

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Deus do impossível...



(...) O Deus do impossível 
Não desistiu de mim 
Sua destra me sustenta 
E me faz prevalecer (...)

(Deus do impossível - Toque no Altar)

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Não me julgue...



Não me julgue

Não estou sempre errada, por vezes ouso acertar. Encontro milhares de dedos a apontar-me no erro, mas nenhum “muito bem” nos acertos...Mas de que vale isso mesmo? Não sou mais uma menina e não necessito de aprovação constante.
Não sou perfeita, mas parece que alguns ao meu redor cobram isso de mim. Eu também tenho medos, solidões, eu também me perco.
Não tenho pretensões em agradar a todos (me desculpe os que o fazem, mas minha auto-estima é essencial), no entanto aos que me interessam: é duro lidar com pessoas implacáveis. Eu sei por que já fui uma delas e feri muitos que me amavam.
Posso ter todos os defeitos possíveis, mas não ousaria dizer o que não sinto, fazer o que não quero.

Porque não aceitar-me assim?

Por que não amar-me como sou?

Quero brincar de ter vontades, quero ter vontade de brincar, e poder sem julgamento realizá-las.
Por vezes os gritos aqui dentro se calam, se intimidam diante de olhares fechados, punitivos, ameaçadores.
Quero a liberdade de sentimentos sejam eles bons ou ruins, façam-me bem ou mal quero vivê-los a meu jeito, da forma disforme ou conforme as necessidades do meu coração.
Não julgue o que não vês, conheces pouco de mim, se permita ver meus mais belos sorrisos, minhas lágrimas mais doídas, as palavras que inconfessavelmente tenho a lhe pronunciar.
Não cesse meu livre arbítrio, reconheça os encantos de um pássaro que mesmo tendo toda liberdade para voar prefere pousar do seu lado.
Deixa que eu enlouqueça, mas reconheça que minha imperfeição te satisfaz.
Como diz o trecho da música de Luciana Mello “Hoje eu só quero que o dia termine bem”... mas se não é para ser, tudo bem! Amanhã eu volto a tentar.

(Samyra Almeida)


“É com os pés seguros no chão
que você pode alçar os maiores vôos”
(Autor desconhecido)


Confira a postagem original no Arte & Cultura.